Registe em poucos segundos a nossa newsletter e receba todas as novidades.

Acrilsports

#GetsYouFurther

A Saúde Mental no Desporto

Para atingir o desempenho máximo é necessário que o jogo mental seja sólido!

Ao falar em saúde mental somos remetidos imediatamente para o bem-estar psicológico e social, para a capacidade de nos sentirmos bem connosco e com os outros e de lidarmos com as adversidades com confiança e segurança.

Segundo Organização Mundial da Saúde (OMS) Saúde mental é “o estado de bem-estar no qual o indivíduo realiza as suas capacidades, pode fazer face ao stress normal da vida, trabalhar de forma produtiva e frutífera e contribuir para a comunidade em que se insere”.

Quando falamos em desporto, em performance e em resultados devemos ter em conta que um atleta só poderá alcançar os objetivos a que se propõe se a sua mente estiver equilibrada e se as competências mentais forem desenvolvidas. 

Muito se tem falado nos últimos anos sobre a saúde mental no desporto. Um tema pouco explorado e/ou abordado nas últimas décadas, que tem sido alvo de atenção após alguns atletas de alta competição terem abandonado a carreira por apresentarem estados de depressão e/ou ansiedade. 

Mas de que forma a saúde mental poderá implicar a performance de um atleta?

Somos o resultado das nossas experiências, memórias, convicções, crenças, valores, educação, cultura e aprendizagens. Os nossos comportamentos refletem os nossos filtros mentais (criados por essas mesmas experiências, memórias, convicções…) que por sua vez têm uma implicação direta no nosso estado emocional e consequentemente no nosso comportamento.

Criamos a todo o momento mapas da realidade que não representam a verdadeira realidade, senão a interpretação que fazemos dela. São as nossas crenças que nos permitem agir (se forem ilimitadas) ou que travam o nosso desenvolvimento e a nossa ação (se forem limitadas). 

Sabendo isto, se o atleta desenvolver as suas competências e habilidades mentais e se diariamente aliar o treino mental ao treino físico, conseguirá atingir o bem-estar psicológico e emocional, otimizar o seu desempenho, melhorar a sua performance a alcançar os objetivos desejados. 

Tal como os músculos precisam de ser trabalhados e exercitados, também as habilidades mentais necessitam ser aprendidas, desenvolvidas e aprimoradas. 

O treino mental no desporto é a prática habitual de estratégia e técnicas mentais que permitem ao atleta lidar com situações desportivas, desafios e competições e que vão ajudar a melhorar o seu rendimento e a performance desportiva.

Os atletas de alta competição são submetidos diariamente a situações stressantes como ambientes de pressão, treino físico elevado, competições importantes, resultados, incerteza relativamente ao futuro, conflitos entre vida pessoal e profissional e gestão de expectativas.

A capacidade de gerir e lidar com as suas emoções, tem impacto direto no comportamento e performance do atleta. 

Na base do treino mental está o desenvolvimento do autoconhecimento. É quando o atleta toma consciência das suas habilidades, dos seus valores, crenças e convicções que inicia o processo de transformação e aprimoramento. Um coach, psicólogo ou terapeuta pode ajudar o atleta a aumentar o seu nível de autoconhecimento, a identificar os seus valores e a transformar crenças limitantes (que originam as dificuldades) em crenças ilimitadas de forma que o seu comportamento seja cada vez mais direcionado para aquilo que pretende atingir.

Ao autoconhecimento segue-se o autocontrole emocional que diz respeito à capacidade do atleta refletir e dominar as suas emoções de forma a que no momento em que surgem, o comportamento possa ser controlado e ponderado. O treino mental vai possibilitar ao atleta a aquisição de técnicas para alteração de estados emocionais como ansiedade, medo e frustração, trabalhando a fisiologia, as suas representações internas e aprendendo técnicas de visualização e relaxamento. 

As emoções influenciam os processos cognitivos como a atenção, memória, perceção, processamento de informação e tomada de decisões. Ao trabalhar as estratégias mentais, o atleta vai aprender habilidades de gestão emocional que lhe permitam lidar com situações desafiantes e ainda fortalecer a confiança, autoestima e autoimagem. 

Estando o rendimento desportivo diretamente relacionado com a motivação, estabelecer metas e objetivos alcançáveis, realistas e desafiantes, é um bom instrumento utilizado por coaches e terapeutas para aumentar os níveis de motivação do atleta, permitindo-lhe continuar a trabalhar, colocando a sua atenção nas metas nos resultados que pretende atingir.

Treinar as competências emocionais e aliar o treino mental ao treino físico vai permitir ao atleta melhorar o seu rendimento desportivo, tornando-o mais consistente e constante e, por conseguinte, aumentar o seu nível de bem-estar psicológico, social e profissional.

Filipa Marques, Master, Practitioner e Coach em Programação Neurolinguística. Especialista em Coaching Desportivo e life coaching, Comunicação e Relações interpessoais.

O Nosso Grupo